Genebra, Suíça, Dezembro 2010 – A cada ano o câncer mata mais pessoas do que a AIDS, malária e tuberculose juntas em todo o mundo. As pesquisas mostram que 1/3 das mortes pode ser evitada por meio de atitudes preventivas. Outro terço se salvaria através de diagnóstico precoce e tratamento. De todo modo, os números avançam e sem nenhuma ação, as nações mais pobres, exatamente aquelas com maior dificuldade para lidar com o problema, irão testemunhar o aumento drástico de mortes até 2015. Há urgência de ações imediatas.

Em 2005, a União Internacional de Controle do Câncer (UICC) lançou o World Cancer Day [Dia Mundial do Câncer], com o objetivo de chamar a atenção do público, líderes governamentais e políticas de saúde para a crescente crise. A próxima data comemorativa acontecerá no dia 4 de fevereiro de 2011, com a campanha World Cancer Declaration [Declaração Mundial do Câncer], e que convida todos a assinar um documento onde se toma conhecimento dos passos para reduzir a doença em todo mundo até 2020.

A cada ano, 12.7 milhões de pessoas descobrem ter câncer, e 7.6 milhões delas morrem da doença. Esse volume representa quase toda a população da cidade de Londres. A Organização Mundial de Saúde (OMS) prospecta que, sem ações urgentes, esses índices aumentarão cerca de 80% em 2030, e as populações mais atingidas serão aquelas de nações mais pobres.

Apesar das intervenções preventivas, diagnóstico precoce, tratamento e atendimento para o câncer – esses países não tem acesso a medicamentos, tecnologias e serviços – as mortes prematuras avançam a cada ano.

A prevenção é um meio relevante de redução do risco de câncer.

Espera-se que em fevereiro novas pesquisas confirmem que 30% dos tipos mais comuns de câncer podem ser prevenidos da seguinte forma: ter uma dieta variada e saudável; manter peso em limites saudáveis; limitar o consumo de álcool e ter atividade física regular.

Mas há ainda evidências consistentes de que: parar de fumar e evitar exposição ao fumo passivo, evitar exposição excessiva ao sol, proteger-se de infecções relacionadas ao câncer são também fatores vitais na redução desse risco.

“Escolhas positivas de estilo de vida reduzem muito o risco de câncer em todo o mundo. Muitos de meus pacientes dizem que gostariam de ter seguido conselhos de comportamentos preventivos mais cedo em suas vidas. E eu gostaria de falar com pelo menos metade desses pacientes e recomendar que aprendam essas formas simples de reduzir o risco de câncer, para colocá-las em prática, e ainda divulgar para aqueles que eles amam”, explica o Dr. Eduardo Cazap, presidente do UICC.

Torne-se um ativista – assine a Declaração Mundial do Câncer no dia Mundial do Câncer!

O objetivo dos organizadores é obter ao menos 1 milhão de assinaturas.

Acesse o website para assinar a declaração: http://www.worldcancerday.org/