As cirurgias bariátricas, popularmente conhecidas como cirurgias para a redução de peso, são os recursos mais eficientes e seguros que a medicina atual disponibiliza para as pessoas que sofrem de obesidade mórbida e precisam reconquistar a saúde e a auto-estima. Não obstante, para que os procedimentos sejam bem sucedidos, o acompanhamento multidisciplinar, especialmente da área da nutrição, é fundamental.


O tema foi objeto de uma apresentação, no ultimo mês de novembro, no XII Congresso da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica, realizado no Mato Grosso do Sul. O evento contou com o estudo de caso apresentado por mim, pois atuo no Hospital CECMI – Centro Especializado em Cirurgia Minimamente Invasiva.

Entendo que é preciso adotar mudança no estilo de vida, reeducação alimentar e uso de suplementos para êxito do procedimento cirúrgico – e isso só é possível com acompanhamento nutricional. Atendi uma paciente com baixíssimo peso e parâmetros bioquímicos, como proteína e ferritina, também baixos, configurando desnutrição severa.

Neste caso, a paciente recebeu suplementação de emergência com fórmula manipulada e aminoácidos isolados para melhor absorção, porém sem sucesso. A cirurgia foi convertida para outro procedimento, menos severo, e que permitiu que a paciente aceitasse suplementação parental e oral. Com a melhora da desnutrição, foi possível utilizar hipercalórico para ganho de peso.

Exemplos como esses devem servir de alerta, pois em qualquer procedimento para a redução de peso, a manutenção da saúde deve ser o principal elemento de sustentação para a garantia dos resultados esperados pelo paciente, que então desfrutará de uma nova vida, efetivamente feliz.

*Sandra Maria da Silva é nutricionista do Centro Especializado em Cirurgias Minimamente Invasivas (CECMI).

Para saber mais: www.cecmi.com.br