São bastante conhecidas as propriedades benéficas do alho para o sistema cardiovascular. Nos países anglo-saxões houve até um aumento do consumo desses integradores alimentares, desde que se colocou no mercado a versão inodora do produto. Agora, sua ação hipotensiva foi confirmada por um estudo que identificou a relação entre o consumo desses integradores enriquecidos com vitamina C (esta, entre outras coisas, abaixa os níveis de colesterol e triglicérides) e  pessoas com pressão arterial alta (14/9).

Nos primeiros 10 dias, usou-se placebo, seguido de uma semana de espaço. Em seguida, repetiu-se o mesmo ciclo de uso de vitamina C (2000mg/dia), consumida sozinha, além de alho fresco (650 mg/dia). No final, depois de mais uma semana de pausa, utilizou-se os dois integradores juntos. Os resultados monstraram que a vitamina C, sozinha, não tinha efeito algum sobre a pressão sanguínea, enquanto o alho diminuía a pressão sistólica, mas não a diastólica. Quando tomados juntos, registrava-se uma diminuição, seja da mínima que da baixa. A mínima passava a 7 ou 8, e a máxima ficava entre 11-12.

A ação hipotensiva é consequência do estímulo na produção de óxido nítrico nas células endoteliais existentes nas paredes dos vasos sanguíneos. A medição desse marcador mostrou um aumento duas vezes superior para o consumo de alho, e três vezes maior na concomitância entre o bulbo e a vitamina C.

O estudo é de pequena escala, e ainda espera novas pesquisas para dar mais autoridade aos seus resultados. O que se sabe por ora é que sempre há alternativas naturais onde não é preciso se preocupar com os indesejáveis efeitos colaterais.

GUEST BLOGGER: Luca Avoledo, Doutor em Ciências Naturais, naturopata, iridólogo e especialista em ecologia do corpo, nutrição e saúde natural.

http://www.studiodinaturopatia.it/prima.html

http://guide.supereva.it/naturopatia

Para saber mais: Cellular effects of garlic supplements and antioxidant vitamins in lowering marginally high blood pressure in humans: pilot study.