Pesquisadores da Universidade Bicocca de Milão (Itália) conseguiram registrar bioeletrodos cerebrais em seres humanos enquanto estudavam os neurônios espelho (células capazes de analisar cenas e interpretar as intenções dos outros). O estudo permite compreender os processos neurais ativados no instante em que se observa uma ação errada e a não imitação é induzida.

Sabe-se que ações dotadas de finalidade ativam o sistema fronto-parietal dos neurônios espelho e de forma maior se comparada às ações não finalizadas ou menos importantes, como por exemplo, alcançar um fruto sem colhê-lo, ou colhê-lo e depois jogá-lo fora. Parece que existem populações neurais premonitórias e somatosensoriais relacionadas à observação das ações feitas pelos outros, à imitação e aprendizagem.

Os pesquisadores testaram a existência desse circuito em 23 estudantes do sexo feminino e masculino, estimulando-os com imagens. O registro foi possível por meio da utilização de 128 censores que captavam a atividade cerebral evocada pelas estimulações. A esse grupo se mostrou centenas de imagens com pessoas praticando ações aparentemente naturais (tomar banho, escrever uma receita, brindar). E essas cenas foram alternadas por outras, onde as ações não tinham finalidade específica, ou eram incompreensíveis (manter-se de pé somente com uma perna no deserto, sugar com um canudo o óleo de um carro, abrir um ovo com um escudo etc.).

Os observadores não precisavam avaliar a adequação das cenas observadas, mas deviam responder às paisagens urbanas ou naturais. O objetivo era evitar processos de decisões guiados por variáveis subjetivas (ética, moral, etc.). Os resultados mostraram o reconhecimento automático das imagens dotadas de finalidade, bem como a distinção daquelas inapropriadas, e a partir dos 170-200 milésimos de segundo pós-estímulo, especialmente no cérebro das mulheres, evidenciando uma elaboração mais veloz.

A observação desse fenômeno indica que as regiões mais ativas durante o reconhecimento de ações sensatas e apropriadas são as áreas do lóbulo parietal inferior (BA40), o giro frontal esquerdo, as áreas motoras e pré-motoras (BA6 e BA4), os Sulcos Temporais Superiores (STS) e o córtex extra-estriado (que codifica as faces e os corpos). Após cerca de 450-600 milésimos de segundo, verificou-se o pico da resposta negativa aos gestos improváveis, com uma conotação reativa mais afetiva na mulher (córtex singular e sistema límbico e STS) e mais racional no homem (córtex órbito-frontal e STS).

Esses dados sugerem uma maior suscetibilidade feminina para as ações incongruentes, e fornece novas provas da existência de neurônios espelho nos seres humanos e seu papel nos comportamentos sociais complexos de imitação, aprendizado e avaliação de adequação.

Então, temos discutido aqui que a vida é bastante simples, muito embora ela permita uma enorme variação de padrões complexos que nos levam à compreensão das coisas. Parece mesmo improvável que Eva e Adão tenham sido criados apenas para a perpetuação da espécie. Após anos da Teoria da Evolução, o que temos aqui é mais uma pista de que somos seres interdependentes (somos todos um). Qual seria a razão porque as mulheres são mais rápidas em identificar “gestos improváveis”? Seria porque, tendo maior capacidade de sentir, elas podem advertir seus parceiros sobre algo que eles são biologicamente incapazes de ver e, assim, funcionam como um alarme contra riscos potenciais?

Essas conclusões levam a crer que há ainda necessidade de outros estudos para entender os mecanismos neurológicos que causam tanta resistência masculina em aceitar essa predisposição genética feminina. Queimar sutiãs, lutar por direitos iguais na vida e nas corporações não valerá nada se os homens não forem capazes de aceitar a realidade de que mulheres não são rivais, mas co-pilotos eficientemente dotadas pela natureza. Não é esse o ideal da perfeição: relações equilibradas onde cada um manifesta o melhor de si na gestão da vida e na solução de problemas?

Para saber mais: When neurons do not mirror the agent’s intentions: Sex differences in neural coding of goal-directed actions

Ps.: Em 1903, Rainer Maria Rilke, escrevia em suas Cartas a um jovem Poeta: “Talvez os sexos sejam mais aparentados do que se pensa e a grande renovação do mundo talvez resida nisto: o homem e a mulher, libertados de todos os empecilhos, virão a procurar-se não mais como contrastes, mas sim como irmãos e vizinhos; a juntar-se como homens para carregarem juntos, com simples e paciente gravidade, a sexualidade difícil que lhes foi imposta”.