73844320Um dos assuntos mais apaixonantes do momento para mim é a perfeição do corpo humano. Quanto mais estudo e ouço os médicos falando de suas pesquisas e descobertas, mais me intrigam os mecanismos que nos mantém vivos e sãos.

Exemplo disso é a oxitocina, um hormônio produzido pelo hipotálamo, cuja função é promover as contrações uterinas durante o parto, além de estimular a produção do leite materno. Esse hormônio também é conhecido como o hormônio do amor, facilitando a aproximação entre as pessoas. Pois bem! Pesquisadores da Universidade de Zurique, após alguns testes realizados com casais voluntários, declararam que a oxitocina é uma verdadeira poção do amor: pulverizada com o auxílio de um spray, tem a capacidade de aumentar a confiança em si mesmo, torna as pessoas mais disponíveis e ajuda na solução de problemas. Ao final da leitura dessa frase, a imagem que me veio à cabeça foi a de um anel que se abre, permitindo a saída de um fluído que pode encantar as pessoas. Nada mais romântico e poético, ingredientes conhecidos de todos os contos de fadas…

Então a psiquiatra Donatella Marazziti, da Universidade de Pisa, na Itália, me traz de volta à vida real: “a oxitocina reduz o estresse e os nossos estudos no homem demonstraram que quanto maior for a quantidade em circulação, maiores serão os sinais de apego romântico”.

Evidentemente, as pesquisas não são parte de um sistema de agenciamento para encontros de casais, e o interesse científico é tentar reproduzir a fórmula, provavelmente no formato pílulas, para uso terapêutico. Conforme a especialista italiana, um remédio desse tipo poderia ser útil em patologias cuja sintomatologia inclua problemas de comunicação, como por exemplo o autismo e a esquizofrenia: “esse spray de oxitocina melhora a perfomance social em crianças autistas”, acrescenta Marazziti.

Indagada sobre a existência de algum efeito colateral, a pesquisadora revela que é possível a ocorrência de uma ligeira amnésia que, por outro lado, pode ser útil para quem sofre de distúrbios pós-traumáticos.

Pensando mais profundamente sobre o assunto, a coisa se resume no fato de que, por algum motivo, nosso corpo é predisposto ao amor, e o processo químico envolvido nessa ação ajuda na interação entre as pessoas. Sabida, a natureza humana dá uma mãozinha no imenso trabalho que é amar o outro como ele é, sem querer mudá-lo, apenas aceitando-o como uma alma e um corpo complexos que existem apesar de nossas vontades egoísticas e projeções. Abrir um anel com uma poção ou usar um spray parece fantástico, mas ter consciência disso tudo pode ser a verdadeira magia.

Para saber mais: The role of oxytocin in neuropsychiatric disorders [O papel da oxitocina nos distúrbios neuropsiquiátricos]: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/18336283