76841614Na mesma semana em que os principais cronistas dos jornais brasileiros  se manifestaram sobre a excomunhão  de uma menina vítima de estupro, sua mãe e os médicos que promoveram um aborto legalmente autorizado, uma pesquisa publicada na revista Psycological Science fala sobre os efeitos da religião no cérebro humano.

Cientistas da Universidade de Toronto concluíram que tantras, orações e ritos religiosos podem diminuir a ansiedade. O grupo examinado, composto por pessoas religiosas ou não, foi submetido a um teste denominado Stroop, que utiliza eletrodos para controlar a cognição e avaliar as respostas cerebrais a determinados estímulos.

As conclusões a que chegaram os estudiosos é que, quanto maior for o nível de religiosidade, menor será a atividade do córtex cingular anterior (Acc), ligado ao controle inconsciente do perigo e dos problemas. Os especialistas dizem que essa parte do cérebro funciona como uma espécie de alarme, que toca quando alguém comete um erro. Diante dos resultados obtidos, a menor atividade daquela zona cerebral, verificada exatamente entre as pessoas religiosas, significa que elas se sentem menos estressadas diante do enfrentamento dos erros e das incertezas da vida.

O coordenador da pesquisa, Michael Inzlicht, até fez uma brincadeirinha a respeito de Marx e sua célebre frase sobre a religião ser o ópio do povo. Felizmente, o estudo não tornou público qual seria a religião mais adequada para potencializar a diminuição do estresse e da ansiedade. Entretanto, a espiritualidade nos ajuda a viver melhor porque nos faz olhar para dentro e acordar para o fato de que somos seres humanos complexos e falíveis. Por essa razão, não podemos controlar o dia ou a noite, nem podemos mudar os outros ou evitar a morte das coisas materiais e imateriais. Quê dizer do fato de evitar as misérias da vida, que fazem com que crianças devam se submeter a um aborto?

Quando cultivamos a fé em um Poder Superior, aceitamos humildemente nossa condição humana. Acordamos da ilusão que leva às expectativas irreais do que é a felicidade ou uma vida perfeita.  Nosso trabalho, então, é iniciar um movimento para a mudança, fazendo o melhor possível.

Para saber mais: Religion protects against stress, study suggests:

http://www.utsc.utoronto.ca/~inzlicht/research/publications/Inzlicht,%20McGregor,%20Hirsh,%20&%20Nash,%20in%20press.pdf